22 de jun de 2012

Papel Social

Não tenho me manifestado aqui há algum tempo.  Preciso atualizar o que me acontece.

Nada preocupante.  Apenas uma gripe bem típica do Planalto Central nessa época do ano me pegou.  Resisti por um bom tempo, mas não consegui escapar.

Conclusão:  sem fisioterapia.

Além disso, posso dizer que estou sem maiores novidades.  Além de já estar quase nos meus 100%, o pouquíssimo que me falta tem o seu próprio ritmo.  Já percebi que esses 4% que falta tem vida independente da minha vontade.

Não, não estou lavando minhas mãos para isso.  Acho que temos que ter a sabedoria (e isso - sabedoria - não é nada fácil) de conseguir entender que tudo tem o seu limite.

Continuo fazendo minhas atividades fisioterápicas diariamente, 24hs, 7 dias por semana.  Passei encarar minhas atividades rotineiras como fisioterapia.  Como me propus desde o início da minha reabilitação a fazer tudo que eu fazia anteriormente do mesmo modo (não "do mesmo modo", mas com uma percepção diferente), tudo é encarado com desafio.

Pegar um copo no armário, abrir uma tampa de garrafa, passar um SMS, tudo com a mão direita (se deixar, e sem reparar, a esquerda quer dominar), todas as atividades passam a ser um desafio, pois no fundo quero conseguir fazer tudo.

Você pode estar pensando que estou obcecada.  Não é isso não.  É um desafio como qualquer outro: correr uma maratora, escalar o Everest, etc.  Temos que ter objetivos que nos impulsione para alguma coisa.

Objetivo é a palavra de ordem para se alcançar qualquer coisa.  Temos que assumir posturas, pensamentos, atitudes, entre outras coisas, que nos leve aos nossos objetivos.

Uma vez alcançados, nos realizamos!
 
Procure fontes que te alimentem para esse processo: amigos com palavras OTIMISTAS, ambientes com boas energias, leituras que te nutrem, religião que faça bem (a de sua escolha) e FÉ no seu objetivo.

Ninguém tira da minha cabeça que a FÉ que tinha, ou melhor, que tenho dentro de mim é que me move sempre para uma recuperação 100%.

Exemplos positivos na internet são poucos.  Muita gente gosta de só escrever desgraças de seus tratamentos.

Eu quero aqui deixar pelo menos uma mensagem positiva para quem chega a ler alguma linha minha.  O otimismo é fundamental, como falei ontem com a minha amiga "A" (aquele anjo que me ajudou quando passei mal):  é um papel SOCIAL que temos que prestar a sociedade.  Que sim é possível passar por muita coisa e se recuperar.

Hoje sou exemplo para muitos.  Me orgulho disso, mas sem se sentir melhor que ninguém, mas mostrando aos outros que é possível passar por adversidades com otimismo!

Bora que atrás vem gente!


7 de jun de 2012

Desafios. Sempre!

Como anteriormente já comentei, saí incólume desse ciclo.  Agora darei um tempo nas quimios, e iniciarei uma bateria de radioterapia.  Depois, mais quimio!

Nesse período, não tive sessão de fisio, mas ontem retornou.

 E para minha surpresa, estou indo bem.  Modificamos a série ECCC.  Para quem não sabe do que se trata, vale a pena dar uma olhadinha no post antigo.   Lá eu explico tudo direitinho!

Contagem, Cognição, Coordenação, tudo controlado.  O equilíbrio nesse exercício que ela faz não é utilizado.  Ele foi substituído por um novo elemento: memória.  Nova sigla: MCCC.

Inicialmente ela usou comigo 5 exercícios diferentes.  Demorei sim para conseguir fazê-los, mas de um tempo para cá comecei a fazer sem muita dificuldade.

Ontem, além dos 5, ela adicionou mais 5.  E para minha surpresa eu consegui evoluir muito mais rápido que nos primeiros 5.  10 no total!!!!

Pode parecer meio sem sentido, mas para quem está (sim, ainda estou) meio lenta na cabeça, isso foi muito bom.  Tudo parece voltar naturalmente.

Mas também não deixo minha cabeça muito quieta não.  Comprei recentemente um almanaque de Sudoku, e comecei a fazer.

É um daqueles almanaques cheios de sudokus, desde o mais fácil até o mais difícil.  Estou ainda na fase do fácil, mas desde quando comecei a fazer melhorei MUITO.

No início começava, mas não conseguia terminhar.  Uns 2 eu tive que desistir.  Deixei passar uma semana.  Comecei a fzer de novo, sendo que dessa vez eu concluia tudo.  E hoje já reparei que estou fazendo bem mais rápido. 

Não insisti no início, pois achei que podia ficar frustrada por não conseguir fazer.  Isso é a melhor coisa que podemos fazer a gente,  Nós temos que saber nossos limites e, paralelo a isso, ter a disciplina para voltar a ser desafiado.  Até achar o momento certo.  Não podemos desistir!

E assim estou indo.  Me disciplinei a fazer pelo menos 3 sudokus por dia.  Daqui a pouco passarei para o nível médio!

A cabeça vai retomando.  O corpo também.  Daqui a pouco já estarei nos meus 100%.

1 de jun de 2012

Salto alto!!!!

Ontem saí pela primeira vez com salto alto!!!!!

Depois de 10 meses com (literalmente) o pé no chão, arrisquei uma subida nas alturas!!!!  Consegui!  Orgulho dessa menina!

Para quem aprecia um salto, isso também é uma vitória.  Não usava salto até então pelo excesso de falta de equilíbrio que era presente, mas está indo embora!!!!

Como fui num programinha super seguro, aqui perto de casa, onde ia ficar muito tempo sentada e que o chão era regular, arrisquei.  E me dei bem!  Tudo certo!

Tudo bem que ainda não é 100%, mas nas alturas já fico a uns 85%.  Antes os 85 eram "pé na chão" mesmo, então por que não tentar?  Daqui a pouco chegarei aos 100!

Ainda preciso prestar atenção na pisada, no equilíbrio e coisa e tal.  Mas isso qualquer uma já passou por isso.

Considero que estou aprendendo a andar de salto agora.  Como tudo na vida, isso também requer prática.  Então lá vou eu treinar.

Me lembro que quando comecei minha fisioterapia tinha pedido isso a ela!  Sei que isso foi fruto de muita sessão de fisio, e de determinação pessoal, que ficaria novamente nos 100%. 

Para muitos essa vaidade pode parecer uma mera besteira, mas para mim tem um significado muito além!

"Ver" o mundo de cima, não tem preço!