15 de dez de 2011

O Escafandro e a Borboleta - AVC

Relutei muito ao resolver fazer referência a esse filme/livro aqui.
É muito impressionante, mas faz bem o ponto de vista de um paciente pós-AVC.
Acho que indico esse filme/livro para aquelas pessoas que estão prontas para saber lidar com o problema.  Nada melhor do que o ponto de vista de um paciente pós-AVC para colocar as pessoas cientes do que ocorre naquele caso.  A visão meio turva, as palavras não imediatamente entendidas, a comunicação entre o paciente e seus amigos (passei por essa fase mostrada no filme de forma MUITO rápida), a sensação de aprisionamento em seu próprio corpo, tudo vai ajudar as pessoas a compreenderem a luta particular de um paciente, pelo menos um pouco.


Em algum momento do hospital eu interagia com o mundo externo daquele jeito. A "Locked-in Syndrome" (Síndrome do Encarceramento) me rondou apenas alguns dias (nem me lembro).  É incrivel pensar que uma pessoa escreveu um livro naquelas condições (prefiro não estragar a "surpresa").
Não havia assistido ao filme até então.
Fica então uma referência caso achem interessante.  Não é um filme leve, já aviso desde logo, mas caso tenha curiosidade vale a pena.
Como a nossa vida está sobre um "fio de navalha" e nada podemos fazer!  O filme nos dá bem essa sensação...
Me serviu para indicar a uns profissionais que lidam com AVC (ok, vou usar a terminologia correta - AVE), e para sempre lembrar de um jeito que passei, mesmo que não tenha lembrança.

6 comentários:

  1. Oi Adriana! Eu assisti o filme e é realmente muito angustiante aquela sensação de encarceramento, mas vale a pena ver!
    Gostei muito do blog, continue compartilhando suas experiências...
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Adriana, esse anônimo acima sou eu, Marina, tia da Thaíssa :)

    ResponderExcluir
  3. desde o início da sua estória me lembrei muuuito desse filme, mas achei que seria pesado pra vc assisitir... uma grande estória de superação né amiga! bjos

    ResponderExcluir
  4. Linda história! Mostra a superação possível dele!

    ResponderExcluir
  5. Filme maravilhoso, a fotografia é linda

    ResponderExcluir