1 de dez de 2011

Deus - AVC

Minha amiga "A" um dia me perguntou:  "Amiga, você tem conversado muito com Deus?".  Eu não caminhava e passava a maior parte do tempo na minha cama.  Respondi prontamente: "Não quero conversar muito não!  Se eu ficar aqui elocubrando porque tudo isso me aconteceu, eu vou ficar louca!  No momento basta minha oração, meu Pai Nosso e minha Ave Maria". Amém.


Se em algum momento da minha recuperação pós-AVC eu ficasse tenando arrumar alguma justificativa para o que me aconteceu, eu tenho certeza que demoraria mais tempo para me recuperar.   Por que raios, um raio cai duas vezes no mesmo local (não estou falando dos 2 AVCs não!).  Já havia passado por um belo "enquadramento" ano passado (assim que eu gosto de chamar meus "problemas"), e como se isso não bastasse, esse ano me aconteceu "isso".
Não quero que vocês achem que eu abandonei meu lado espiritual, pelo contrário, quem me conhece sabe como minha mesinha de cabeceira é.
Só acho que também deve haver uma razão para eu não conversar com ele tanto!  Tenho que encarar de uma forma prática e simples isso.  Só isso!
Um evento não tem NADA (eu disse NADA mesmo) a ver com outro!  Três médicos já me disseram isso!  UFA!
Apenas um raio (não deveria usar o "APENAS") caiu no mesmo lugar e eu estava lá!
Minha consciência é muito tranqüila!  Durmo com minha cabeça na travesseiro e muito bem, diga-se de passagem! Não desejo o mal a ninguém, entre outros males do ser cristão...
Não, não estou dizendo que eu sou a Madre Teresa de Calcutá.  Estou apenas dizendo que sou uma boa cristã, que não deseja o mal alheio...  Mas não se meta em minha vida!  Eu estou longe de ser considerada uma pessoa intrometida!
Faça aos outros o que deseja para si!
Como minha amiga "D" gosta de encerrar seus e-mails:
"Paz e Bem"

Um comentário: